Principais Doenças Que Acometem Cães Jovens - Coisas de Vó

Thumb Principais Doenças Que Acometem Cães Jovens

Principais Doenças Que Acometem Cães Jovens

Principais Doenças Que Acometem Cães Jovens

Divertidos e sempre fiéis, os cães são mesmo o melhor amigo do homem. Mas tal qual você cuidaria da sua saúde, é preciso cuidar do seu cão para que doenças não surjam. Em animais não tratados, uma pequena infecção pode ser fatal. Os pets sempre estão em desvantagem porque não reclamam quando estão com dor, não podem dizer exatamente o que sente e quando chegam a uivar de dor é porque o estado já é grave. Algumas doenças são bem comuns e podem ser prevenidas. Conheça algumas, seus sintomas e como tratar.

Principais Doenças Que Acometem Cães Jovens

Principais Doenças Que Acometem Cães Jovens

Alergias

Do mesmo jeito que alguns humanos não podem comer camarão e outros não suportam poeiras, alguns cachorros são intolerantes a animais e substancias e acabam por sofrer bastante com isso. Os sinais clínicos podem ser discretos ou gritantes, depende do animal e do seu tipo de alergia. Alguns apresentam coriza, outros sentem uma coceira intensa e outros ainda sentem dores e surgem feridas ao longo do corpo.

A maior parte dos cachorros desenvolvem ou nascem com alergias a fungos, desinfetantes, fumaça de cigarro, tecidos feitos com lã e algodão, carpetes, dentre outros. Muitos animais de pequeno porte apresentam alergia a flores e grama, principalmente os miniaturas.

Os tratamentos para alergias em cachorros são os mesmos para os humanos. Deve-se evitar o contato com o objeto que causa alergia ou produto. Antialérgicos são receitados em caso de crises de alergia, como no caso dos animais que não podem comer alguns alimentos, um tipo de alergia comum. Infelizmente a maior parte das alergias em pets é hereditária: pais alérgicos podem gerar filhotes alérgicos também. Mas é comum também animais alérgicos gerarem animais saudáveis.

Alergias

Alergias

Infestação De Carrapatos

Carrapatos são parasitas que grudam na pele do cão para sugar seu sangue. O carrapato está para o cão como o pilho está para os humanos: ambos são comuns e precisam de tratamento constante. Não precisa de muito para seu animal se infestar por carrapatos: basta que ele fique próximo a outro animal também com carrapatos que o parasita acaba por grudar nos pelos. Como não precisa de macho para procriar, apenas um e você, sem cuidar do seu cão, verá em breve pequenos bichinhos engordando e deixando seu animal doente. Coça, incomoda e em alguns casos gera uma infecção grave, conhecida por babesiose.

Animais que não possuem contato com a rua devem ser tratados também, pois na visita ao veterinário podem contrair a doença de outro animal com uma simples brincadeira. Os cuidados mais simples envolvem banhos constante com shampoos anti carrapatos e injeções, a serem ministradas por um profissional, pois o medicamento é bem doloroso e o animal não costuma curtir muito injeções. Se seu cachorro mexer pode quebrar a agulha dentro dele, causando infecção e ferimentos internos graves.

Dermatite

Cães possuem inflamações na sua pele também. Sua pelugem pode se infeccionar com micoses, causando sinais clínicos como coceira, manchas e queda do pelo. Quanto mais a dermatite evoluir, mais as feridas podem progredir. O próprio animal pode deixar sua pele em carne viva, pois a infecção vai se espalhando. Dermatites não costumam causar a morte de um animal saudável, mas ele ficará bem incomodado e com dor nas partes sensíveis. O pelo pode não crescer jamais no mesmo local.

A melhor forma de cuidar de uma dermatite é levando o animal ao veterinário para que ele identifique qual fungo ou bactéria foi a causadora da doença e indique o tratamento adequado. Este pode ser apenas a lavagem do local com sabonete anti séptico, mas na maior parte dos casos envolve medicamentos mais eficientes, como a ministragem de fungicida oral para combater de forma mais eficiente. Antibióticos podem ser indicados para o animal, com dosagens diferenciadas de acordo com o seu porte físico e raça.

Abcessos

Brigas entre cães são comuns, mas podem causar problemas como um abcesso. Uma ferida mal curada causada por mordida de um animal, ou mesmo um acidente como um corte do animal, queimadura ou ferida em arames pode se tornar um abcesso. Este é uma infecção pontual que se alastra, impedindo a cicatrização da ferida e chegando até o sangue. Forma-se um calo na carne de grande tamanho, precisando ser drenado para retirar o excremento em seu interior para o animal poder se curar. Um abcesso mau tratado pode causar a morte do animal.

Giardíase

Se seu cachorro come apenas ração e resiste à tentação de comer restos de rua, ele provavelmente jamais vai sofrer com a giardíase. Esta doença é causada quando um verme, a giárdia, se instala no intestino do animal. Este verme está presente em carne de porco, vaca e outros desejos de animais mal tratados e é comum em animais de rua por alimentar-se de lixo.

Os sinais clínicos da giardíase são bem pontuais: fezes mole, o animal deve sentir dor e incomodo ao comer e tomar bastante agua por estar desidratado. Diarreias são comuns e as fezes devem ter um mau cheiro muito forte. O tratamento é feio a base de medicamentos colocados na água e via oral em forma de comprimidos. Quando diagnosticada a tempo, é uma doença de fácil cura.

A giardíase é apenas uma das verminoses comuns em animais domésticos. Para evitar o sistema é o mesmo: treinar o animal para comer apenas ração, sempre dar ao animal agua limpa e evitar que ele coloque na boca qualquer coisa que não seja limpa de sua casa. Ao passear com o pet, mantenha-o sempre na coleira para evitar que ele brinque com objetos jogados e acaba por engolir algo contaminado.

Gripe

A gripe canina é um pouco mais forte que em um humano, por isso merece mais cuidado. Os sintomas são semelhantes: tosse, fraqueza e sem vontade de comer. O cão deve corizar bastante também, mas como o animal sempre se limpa com a língua, o dono pode não perceber. O tratamento é bem semelhante aos humanos: evitar dar banhos noturnos, ministrar bastante agua para o animal, repouso e alguns remédios orais receitados por um veterinário.

Envie um comentário :

Outros Posts da Coisas de Vó: